Um Cookie

Muitos amigos com quem converso falam sobre as dificuldades de cozinhar para apenas uma ou duas pessoas. Realmente, muitas das receitas assumem que você sempre está cozinhando para uma família completa. Isso sem falar que muitos ingredientes só são vendidos em porções que servem um batalhão.

Por isso, quando encontro uma receita na medida para uma ou duas pessoas, fico muito empolgada.

Digamos que você quer fazer 1 (um) cookie. Apenas um. É possível! Olha essa receita:

Ingredientes:

1 colher de sopa de manteiga (temperatura ambiente)

1 colher de sopa de açúcar branco

1 colher de sopa de açúcar mascavo

1 gema

¼ xícara de farinha de trigo

2 colheres de sopa de pedacinhos de chocolate

Modo de Preparo:

Misture bem todos os ingredientes (deixando os pedacinhos de chocolate por último) e coloque em um potinho que possa ir ao forno. Asse por 20-25 minutos em fogo médio (pré-aquecido).

Nota: Acrescente 1/2 colher de sopa de chocolate em pó para fazer a massa de chocolate.

Sopa de cebola

Tudo começou semana passada quando, para uma outra receita, fui ao supermercado comprar, entre outras coisas, UMA cebola. No entanto, irritantemente, o supermercado não tinha cebolas para serem compradas individualmente, somente uma embalagem fechada com 1 kg. Sem paciência de ir a outro estabelecimento, decidi comprar o pacote todo, que custava pouco mais de um real.

Assim, usei a minha cebola para cozinhar algo que já nem lembro o que era e acabei com 900g de cebola  na dispensa… Decidi então buscar uma receita de Sopa de Cebola.

Com inspiração no Food Network e num livro “Cozinha Francesa Fácil” que achei na cozinha da minha avó, fiz algumas alterações (principalmente nas quantidades) e aqui está a receita. Aproveitem!

Tempo de preparo: 70 minutos. Rendimento: 2 porções

 

Ingredientes:

4 cebolas médias

1 folha de louro

2 colheres de sopa de manteiga

Sal e pimenta a gosto

2 dentes de alho amassados

½ xícara de vinho tinto

1 colher de sopa de farinha

400ml de caldo de carne

½ baguete

100g de queijo Gruyere ralado

Modo de Preparo:

Descasque as cebolas, corte-as ao meio e fatie bem fino (fatias de 2-3 mm). Coloque a manteiga em uma panela em fogo médio e, quando estiver derretida, junte a cebola, a folha de louro, o alho, sal e pimenta. Cozinhe até que as cebolas estejam bem macias e caramelizadas, mexendo de vez em quando para não queimar, por cerca de 25 minutos. Despeje o vinho, abaixe o fogo, e cozinhe até que ele se evapore quase totalmente (cerca de 10 minutos). Tire a folha de louro e acrescente a farinha, mexendo bastante para dissolver. Cozinhe por mais cerca de 10 minutos. Adicione então o caldo de carne e cozinhe por 10 minutos. Finalize o tempero com sal e pimenta a gosto.

Para as torradas, corte a baguete em fatias de cerca de um centímetro e espalhe o queijo por cima. Coloque no forno até que o queijo esteja bem derretido. Tradicionalmente as torradas são servidas sobre a sopa. Faça isso somente quando já for servir o prato, já que o pão absorve o caldo e logo ficará molenga (particularmente, o pão embebido na sopa foi o que mais gostei dessa receita)

Releitura

Um nome mais bonitinho pra “comer o mesmo prato no dia seguinte de maneira diferente”.  Coei a sopa para formar uma pasta e fiz um sandwiche com o queijo Gruyere. Ficou uma delícia!

Salada de quinua

Descobri a quinua em uma viagem pro Peru em 2008. No dia anterior ao passeio em Machu Picchu fomos a busca de um lanche que pudéssemos levar para dentro do parque, onde nos falaram que os preços de qualquer coisa eram abusivos. Não sei bem como fomos, parar num restaurante vegetariano onde o dono preparou uma salada de quinua especialmente pra gente, basicamente com os vegetais que escolhemos. Colocou em uma embalagem de isopor e levamos no dia seguinte para parque.

Por ser considerado um alimento completo, possuir alta concentração de proteínas, zinco e ferro, a salada se provou o alimento ideal para o dia de pesadas caminhadas. O gosto é surpreendente e desde então sou apaixonada por esse grão.

Ingredientes:

½ xícara de quinua em grão

1 xícara de água

1 colher de chá de sal

1 tomate

3 colheres de sopa de ervilha

1 colher de sopa de cheiro verde

1 colher de sobremesa de cebola ralada

3 colheres de sopa de azeite

1 colher de sobremesa de vinagre

Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:

Cozinhe em fogo médio a quinua, a água e o sal até que a água evapore. Reserve na geladeira por cerca 1 hora para comer como salada (pode ser consumida quente também). Pique o tomate em cubos pequenos e junte a ervilha e o cheiro verde a quinua já fria. Tempere com azeite, vinagre, cebola ralada, sal e pimenta a gosto.

A receita é muito versátil, podendo acrescentar quaisquer vegetais que tenha na geladeira. Dessa vez eu acrescentei vagem e aspargos, mas acho que combina também com cenoura ralada, couve flor, brócolis, entre outros. Pode também acrescentar atum ou ovo cozido para fazer da salada uma refeição completa.

Tempo de preparo: 20 minutos. Tempo de espera: 1 hora. Rendimento: 4 porções como entrada, 2 como prato principal.

Panqueca de café-da-manhã

 

Eu adoro café da manhã. Café da manhã de hotel, sair de casa e tomar café num lugar bem legal ou mesmo comer em casa. Pra comer algo diferente do dia-a-dia (torradas, ovos, cereal) ou pra impressionar alguém, eu descobri que fazer aquelas panquecas fofinhas de filme americano é muito fácil e fica uma delícia. Olha a receita:

Tempo de preparo: 15 minutos. Rendimento: 8 – 12, dependendo do tamanho da frigideira e da espessura da panqueca.

 

Ingredientes

2 xícaras de farinha;

1  colher de sopa rasa de fermento;

¼ colher de chá de bicarbonato de sódio;

1 ovo;

2  xícara de leite (eu usei desnatado, mas a receita original é leite integral – pode escolher)

2 colheres de sopa de manteiga derretida.

 

Modo de preparo

Misture tudo com colher de pau até ficar homogêneo. Esquente uma frigideira antiaderente em fogo médio com algumas gotinhas de azeite. Coloque um pouco de massa, suficiente para cobrir o fundo da frigideira, sem ficar alto. Na minha frigideira pequena (aquelas de fritar 1 ovo) eu coloco 2 a 2 ½ colheres de pau. Vire a panqueca quando a borda se soltar um pouco e a massa já estiver borbulhando. Com o fermento e o bicarbonato a massa vai crescer e ficar “gordinha” e aerada. Mais um ou dois minutos do outro lado e está pronto.

Sirva com mel, frutas, geléia, Nutella, doce de leite, frutas. Se quiser servir em um lanche da tarde, pode acompanhar sorvete, chantilly e calda de chocolate.

 

Nota: Pode preparar a massa no dia anterior e deixar a massa na geladeira. Aí, quando acordar é só colocar na panela. E se não quiser fazer todas as panquecas de uma vez só, a massa dura pelo menos 3 dias na geladeira.

Cuscuz Marroquino

O cuscuz marroquino é um ingrediente super versátil, muito fácil de fazer, que pode ser servido como prato principal ou acompanhamento. Pra quem não conhece, o cuscuz é uma massa a base de semolina, que basta ser hidratada para servir. As primeiras vezes que fiz esse prato, hidratei somente com água e sal, e achei que ficou um pouco sem graça. Dessa vez eu usei caldo de carne e ficou ótimo! Como um risoto, você pode pensar em várias combinações de ingredientes, incluindo carnes, vegetais e temperos variados. Segue a receita que fiz para acompanhar o peixe do post anterior:

Tempo de preparo: 20 minutos. Rendimento: 2 porções

 

Ingredientes:

1/3 xícara de cuscuz

1/2 xícara de água

2 colheres sopa de caldo de carne líquido

4 aspargos

4 vagens

1 dente de alho espremido

1 colher de sopa de cebola picadinha

2 colheres de sopa de cheiro verde picadinho

Sal e pimenta do reino a gosto

Azeite

Modo de Preparo:

Coloque o cuscuz em um prato fundo ou vasilha (pode ser o mesmo em que irá servi-lo). Ferva a água com o caldo de carne, despeje sobre o cuscuz e tampe com um prato raso ou tampa de panela, e reserve.

Cozinhe os aspargos e as vagens em água com sal até ficarem macios (cerca de 10 minutos). Despeje a água fora e corte ambos em pedacinhos pequenos (pode deixar duas metades dos aspargos para decorar). Na mesma panela refogue em fogo médio a cebola e o alho com um pouco de azeite até que eles fiquem transparentes. Junte os aspargos e vagens picados e misture por alguns minutos. Nesse momento o cuscuz já deve ter absorvido todo o líquido. Misture os legumes com cuscuz e o cheiro verde. Tempere com sal, pimenta e azeite a gosto.

Gelatina colorida

Pra mim, gelatina me lembra muito infância. Quando era criança, essa era uma sobremesa que sempre tinha lá em casa. Essa gelatina colorida então, sempre que eu vejo em algum restaurante, não resisto. É tão alegre e de sabor tão leve.

A receita precisa ser feita com um dia de antecedência, em 2 etapas, mas é muito fácil. Cada etapa dura 10 minutos.

Ingredientes:

2 pacotes de gelatina com sabores diferentes

½ Lata de leite condensado

1 caixa de creme de leite (200ml)

½ envelope de gelatina sem sabor

Modo de Preparo:

Prepare as gelatinas com sabor com 2/3 da água indicada pelo fabricante. Despeje-as em potes retangulares separados e leve para a geladeira. Quando estiverem firmes, desinforme, pique em quadradinhos e coloque em uma tigela grande. Em um potinho separado, dissolva bem a gelatina sem sabor em 4 colheres de sopa de água fervendo. Bata no liquidificador a gelatina dissolvida, o leite condensado e o creme de leite. Despeje esse creme sobre os cubinhos de gelatina colorida e misture bem para que distribuir as cores.

Coloque a mistura em uma forma com um furo no meio (molhe a forma antes pra ficar mais fácil desinformar). Leve a geladeira até firmar o bastante para desinformar.

  

Tempo de preparo: 10 + 10 minutos. Tempo de espera: 3 + 3 horas. Rendimento: 6 porções.
 
Nota 1: Eu usei uma forma de silicone e desinformei sem problemas.
 
Nota 2: Ao invés da forma com furo, pode colocar em potinhos ou taças. Mas não faz o mesmo efeito de fatiar e ver os “pedacinhos” coloridos.
 
Nota 3: Eu fiz só com 2 cores pois não queria uma quantidade muito grande da sobremesa. Mesmo assim, acredito que essa receita sirva tranquilamente 6 pessoas. Se quiserem ela mais colorida, podem usar 4 gelatinas de sabores/cores diferentes e dobrar todos os outros ingredientes.
 

Receita Bônus

Achei uma foto dessa gelatina na internet e achei muito fofo pra fazer pra crianças. Olha aí como ficou a minha:

Ingredientes:

Gelatina

Laranjas

Modo de Preparo:

Corte as laranjas ao meio e esprema para tirar todo o suco, com cuidado para não quebrar a casca. Com a ajuda de uma colher, retire quaisquer gomos que sobraram na casca. Prepare a gelatina conforme indicado pelo fabricante e despeje o líquido nas metades das laranjas. Leve a geladeira para firmar. Quando estiverem firmes, corte cada meia laranja novamente na metade.

Abobrinha recheada

É muito interessante como nosso paladar muda com o tempo. Principalmente na categoria legumes, eu tenho descoberto diversos sabores que nunca imaginava. Aspargos, ervilha torta e berinjela são alguns dos legumes que quando criança eu comia, mas quase que obrigada, e hoje são parte essencial da minha alimentação. Entre todas as descobertas, minha favorita até o momento é a abobrinha. Refogada, assada, em recheios ou molhos, adoro! Essa receita de abobrinha recheada pode ser um acompanhamento ou prato principal pra um lanche dos vengetarianos (ou quase).

Ingredientes:

1 abobrinha

6 tomates uva

Farinha de rosca

2 fatias de muzzarela picadas

Sal, pimenta, alho e azeite a gosto

Folhas de manjericão fresco

Modo de preparo:

Corte a abobrinha no meio e corte um pouco da base para que elas fiquem mais estáveis numa assadeira. Raspe com uma colher o centro das abobrinhas e separe os restos. Tempere com sal, pimenta e alho a gosto, regando com azeite em seguida. Corte os tomates na metade e coloque dentro da abobrinha. Polvilhe com farinha de rosca e asse em forno alto por cerca de 30 minutos. Retire do forno e coloque a muzzarela picada entre os tomates e enfeite com algumas folhas de manjericão. Leve ao forno novamente até que o queijo derreta.  Sirva bem quente com azeite e mais algumas folhas de manjericão fresco. Inspirado no blog Proud Italian Cook.

Receita bônus:

Como eu sou totalmente contra o desperdício, resolvi fazer algo com as raspas de abobrinha que tirei.

Piquei bastante esses pedaços, misturei com um pouco de cenoura ralada que tinha na geladeira, temperei com sal, pimenta, tomilho e azeite e levei ao forno junto com as abobrinhas. Em 15 minutos , pronto, um mini “ratatuille”!

Entradas Mais Antigas Anteriores