Suflê de goiabada

Depois da aula do Espaço Carioca de Gastronomia passei um tempo sem ir aulas de culinária, até que alguns amigos me convidaram para uma aula com a cheff Manu Zappa. Esta aula foi muito diferente da outra, por tem um clima mais intimista. Acontece na casa da cheff e são poucos alunos (esse dia fomos cinco). Ela nos deixa bastante livres para apenas assistir ela cozinhar, ajudarmos em algumas etapas, ou tomar o controle completo da cozinha. A interação foi bem legal e fizemos quatro receitas de comidinhas para entradas e aperitivos. Além disso, fizemos uma sobremesa que achei genial, tanto pelo sabor quanto pela simplicidade. É muito fácil e impressiona qualquer convidado!

Tempo de preparo: 10 minutos. Tempo de espera: 5 minutos. Rendimento: 4 porções

 

Ingredientes:

200 gramas de goiabada

3 claras de ovo

½ xícara de catupiry

½ xícara de creme de leite

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno em temperatura média. Derreta a goiabada em uma panela com um pouco de água. Bata as claras em neve em uma batedeira até que fiquem firmes. Misture as claras à goiabada derretida. Coloque em refratários que possam ir ao forno (de preferência pequenos, para porções individuais). Não encha completamente os potinhos pois o suflê vai crescer (preencha aproximadamente 7/8). Leve ao forno por cerca de 5 minutos, até crescer e ficar dourado. Em uma panela derreta o catupiry com o creme de leite e despeje sobre o suflê depois de pronto.

Lula à dorê com manjericão

Por anos e anos sempre que ia a praia meu petisco favorito era camarão ao alho e óleo. Pra mim ele sempre foi incomparável e a lula à dorê sempre ficou em segundo plano. Até que um dia, ao voltar de uma pescaria no mar, meu pai voltou pra casa com quilos de lula! Sem brincadeira, QUILOS!!! Sem saber muito o que fazer, resolvemos finalmente dar uma chance a lula à dorê. Com a lula limpa e cortada em anéis, temperei com sal, pimenta e limão, passei na farinha e fritei. Mais fácil impossível.

E não é que o camarão começou a perder seu posto de absoluto??? Lula é uma delícia, e não tem nenhum mistério pra fazer!

Depois, resolvi incrementar um pouco e vi essa receita deliciosa no Jamie Oliver. É uma ótima maneira de diferenciar um pouco e continua muito fácil.

Ingredientes:

½ kg de lula cortada em anéis (comprei meio quilo no Mercado de Peixe da Barra e dei uma gorjeta para o peixeiro já limpar pra mim, então efetivamente tinha um pouco menos pra comer)

1 xícara de leite

2 dente de alho amassado (ou 2 colheres de sopa de molho de alho)

Sal e pimenta do reino

¼ xícara de manjericão fresco

2 xícaras de farinha de trigo

Óleo vegetal para fritar

1 limão cortado em quartos

Tempo de preparo: 30 minutos. Tempo de espera: 2 horas. Rendimento: 2 porções

 

Modo de preparo:

Em uma vasilha junte a lula ao leite, ao alho, sal e pimenta a gosto e deixe temperar por algumas horas na geladeira. Pique em pedaços pequenos cerca de metade do manjericão. Coe bem o conteúdo da vasilha e misture todo o manjericão (picado e inteiro). Jogue a mistura em uma outra vasilha com a farinha e misture bem para grudar direitinho. Passe de novo pelo coador para retirar o excesso de farinha.

Aqueça uma panela com cerca de 5 centímetros de óleo (para saber se o óleo já está quente, coloque um palito de fósforo dentro da panela: o fósforo se acenderá quando for a hora).  Coloque a a lula e o manjericão aos poucos no óleo quente, virando de vez em quando com uma escumadeira, separando os anéis para não grudarem. Frite até dourarem (cerca de 2 a 3 minutos). Retire com a escumadeira e deixe secar em um papel toalha. Sirva com limão para temperar. E as folhas de manjericão fritas são surpreendentes também.

Bolinhos de banana

Eu já disse aqui que adoro café-da-manhã, não disse? Então, estou sempre buscando coisas diferentes pra dar uma incrementada. Principalmente no final de semana, quando você quer sair da rotina. E se essa diferenciada puder ser super saudável e deliciosa, melhor ainda. Esses bolinhos de banana ficam bem molhadinhos e são ótimos tanto recém saídos do forno quanto no dia seguinte.

Tempo de preparo: 20 minutos. Tempo de Espera: 25 minutos. Rendimento: 6-9 bolinhos.

 

Ingredientes:

1 ¼ xícara de aveia em flocos finos

½ xícara de iogurte natural

1 ovo

½ xícara de açúcar (eu usei açúcar mascavo)

¾ colher de chá de fermento

¼ colher de chá de bicarbonato de sódio

1 banana grande madura

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 250 graus. Bata todos os ingredientes no liquidificador (eu bati primeiro a aveia para desmanchar os flocos). Coloque em forminhas de muffin (as de silicone não precisam ser untadas). Asse por 25 minutos ou até que o palito de dente saia limpinho.

Nota 1: Se quiser variar, pode usar iogurte já com sabores (morango por exemplo) e/ou acrescentar outras frutas como morango e blueberry (reduza um pouco a quantidade de banana)
Nota 2: Acrescentei canela em parte da massa e também ficou ótimo, mas acho que combina mais com lanche da tarde do que com café-da-manhã
 

Livro de receitas da minha avó (e salada de feijão fradinho)

Não é por ser minha avó não, mas Dona Doli é uma mulher incrível. Ficou viúva muito cedo, com dois filhos pequenos, um de 3 e outro  1 ano. “Criou-os com a ajuda de Deus e de seu trabalho como professora primária, de desenho e música, até formá-los: um médico eum engenheiro”. Mesmo depois de aposentada, com filhos e netos criados, nunca se contentou em ficar parada. Aos 80 anos resolveu aprender a pintar em tela e, com a experiência de desenho, pintou diversos quadros que estão hoje na casa de toda a família. Começou a mexer no computador e, em seguida, na internet. Mas, foi em 2009, aos 85 anos de idade, que concretizou seu plano mais ambicioso: escreveu e publicou um livro de receitas!

Em homenagem à Vó Doli, transcrevo aqui uma das receitas do livro.

Ingredientes:

Feijão Fradinho

Tomates, ovos cozidos, azeitonas, cebolas, salsinha, ervilhas

Azeite e vinagre

Maionese (opcional)

Sal a gosto

Modo de preparo:

Cozinhar o feijão com sal, Tirar com uma escumadeira o feijão, sem o caldo e colocar em uma tigela. (Não o jogue fora porque esse caldo dá uma sopa muito gostosa). Misturar os tomates, os ovos cozidos, as azeitonas, as cebolas, as salsinhas, tudo bem picadinho, e as ervilhas. Temperar com azeite e vinagre e verificar se está bom de sal. Com maionese também combina.

Tempo de preparo: 20 minutos. Rendimento: 2 porções como refeição, 4 como acompanhamento.
 
Nota 1: Depois que eu descobri o feijão fradinho pré-cozido em caixinha da Camil, eu nunca mais cogitei cozinhar o feijão!
Nota 2: Pra um caixinha de feijão, sugiro 2 tomates pequenos, 2 ovos, 2 colheres de sopa de azeitonas, 1 colhere de sopa de cebola ralada, e 6 colheres de sopa de ervilha, 2 colheres de sopa de salsa e cebolinha.
Nota 3: Acho que combina muito com atum. Assim, vira uma refeição.

Strudel de cogumelos e queijos

 

Quando comecei a perceber que eu realmente gostava de cozinhar, comecei a buscar cursos em que pudesse me aperfeiçoar, tanto em técnica quanto em inspiração para receitas. Apesar de procurar muito, não encontrei no Rio nenhum curso completo e estruturado que fizesse sentido pra mim. No entanto, descobri alguns lugares que oferecem aulas avulsas, com algum tema específico, que me interessaram.

Fui então com uma amiga ao Espaço Carioca de Gastronomia para uma aula de cogumelos. O espaço é ótimo, com 5 ou 6  ilhas com fogão, pia e bancada, para cozinhar em grupos.

A aula que fiz tinha 3 receitas com cogumelos e a dinâmica era bem faça você mesmo: ao entrar na cozinha você recebia as receitas e os ingredientes estavam todos separados na bancada. O cheff dava as instruções iniciais e devíamos cozinhar em duplas ou trios, com o cheff passando pelas bancadas, basicamente tirando dúvidas. Todas as comidas ficaram ótimas, mas senti falta de explicações mais detalhadas, passo-a-passo mesmo. Sem dúvida a aula não para iniciantes. No final você pode deliciar-se com todos os pratos, o que é ótimo.

Minha receita favorita desse dia foi o Strudel de cogumelos e queijo. Originalmente a receita pedia para fazermos a massa do strudel do zero, mas eu optei por fazer com massa folhada congelada (pela praticidade e por achar mais gostoso mesmo).

Tempo de preparo: 25 minutos. Tempo de espera: 25 minutos. Rendimento: 3 porções.

 

Ingredientes:

1 pacote de massa folhada pronta congelada (como essa)

200 gramas de cogumelos frescos (shitaque, shimeji, paris ou uma combinação dos três)

2 dentes de alho amassados

½ cebola pequena picada

3 colheres de sopa azeite

3 colheres de sopa de salsa picada

¼ de xícara de caldo de carne (usei 1 colher de sobremesa de caldo de carne líquido knorr para ¼ de xícara de água)

150 gramas de queijos (eu usei parmesão, provolone e mussarela, em quantidades iguais)

Sal e pimenta a gosto

1 gema

 

Modo de Preparo:

Tire a massa do congelador para descongelar levemente enquanto prepara o recheio. Pré-aqueça o forno em temperatura média.

Limpar os cogumelos, sem lavá-los, tirando os talos e fatiando-os. Refogar a cebola e os dentes de alho no azeite. Quando a cebola começar a ficar transparente, adicionar os cogumelos, temperando com sal e pimenta. Acrescentar o caldo de carne e a salsa, levantar fervura e abaixar o fogo, cozinhando até que os cogumelos absorvam todo o líquido.

Desenrole a massa sobre uma forma untada com manteiga e farinha. Corte em pedaços do tamanho de sua preferência (eu fiz 3 retângulos de aproximadamente 12 cm x 18 cm). Coloque parte dos cogumelos e do queijo em uma das metades da massa. Pincele gema nas extremidades da massa e dobre-a sobre a metade com recheio para formar um pastel. Repita o processo até acabar o recheio. Pincele por cima dos strudels com gema para que ele fique dourado e leve ao forno por cerca de 20 minutos, ou até que a massa esteja crocante e dourada.

Sopa de couve-flor

 

Essa é uma receita-continuação. Depois de fazer mais do que o necessário da receita de couve-flor do post passado, fui buscar o que fazer com elas. O que me chamou atenção nessa receita de sopa de couve-flor foi a adição de uma quantidade de queijo que a faria a prova de erros. Minha teoria é de que qualquer coisa com queijo, creme de leite ou chocolate fica ótimo! E, pelo menos para essa receita, eu estava certa.

Tempo de preparo: 20 minutos. Tempo de espera: 30 minutos. Rendimento: 2 porções

 

Ingredientes:

1 couve flor pequena

3 colheres de sopa de azeite

1 cebola pequena, picada

2 dentes de alho, picados

3 xícaras de água com 1/2 cubo de caldo knorr

1 xícara de queijo emental ralado

2/3 xícara de leite

sal, pimenta e noz moscada a gosto

 

Modo de preparo:

Prepare a couve-flor como no post anterior. Em uma panela refogue a cebola com o azeite por cerca de 5 minutos. Acrescente o alho e refogue por mais alguns minutos. Acrescente a couve flor assada e metade do caldo de legumes e deixe levantar fervura. Abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por 20 minutos. Bata a sopa em um mixer até que atinja a consitência desejada. Retorne a panela e acrescente o queijo e o leite. Tempere com sal e pimenta a gosto. Finalize com algumas folhinhas de tomilho e azeite. Sirva com torradas.

Couve-flor assada

Ao contrário de outros vegetais, couve-flor sempre fez parte do meu cardápio e eu adorava. Couve-flor no vapor, sopa de couve-flor. Couve-flor ao molho branco então, é tão aconchegante e nostálgico. Adoro!

Mas observei que a maioria das receitas com esse vegetal envolvia cozinhá-lo em água. Por isso quando vi essa receita de couve-flor no forno, além de linda, achei muito intrigante.

E não é que ficou ótimo?!?! E com esse molho a base de húmus tahine então, melhor ainda.

Tempo de preparo: 15 minutos. Tempo de espera: 30 minutos. Rendimento: 2 porções como acompanhamento

 

Ingredientes:

1 Couve flor pequena

Sal, azeite, noz moscada

Modo de preparo:

Corte a couve-flor no sentido do cumprimento em fatias de cerca de um centímetro, para fazer algumas “arvorezinhas”. Corte as extremidades em pedaços menores. Lambuze os pedaços por todos os lados com azeite (eu usei um pincel de silicone pra facilitar espalhar). Polvilhe sal e noz moscada e leve ao forno pré aquecido (230 graus, 5 minutos) por cerca de 30 minutos. Vire os pedaços na metade do tempo para dourar por igual.

Nota: Eu fiz metade da receita com cominho e também ficou bom, com gostinho bem diferente daquelas com noz moscada.
 

Então, se quiser incrementar um pouco mais a receita, sirva com um húmus bem temperado. Eu ainda não tive coragem de (nem achei necessário) fazer meu próprio húmus partindo do grão de bico. Encontro o húmus pronto em algumas casas de produtos árabes ou mesmo em alguns supermercados. Mas, normalmente, eles precisam de um tempero adicional. Sugiro então a seguinte combinação:

Ingredientes:

½ xícara de húmus

4 colheres de sopa de azeite

2 colheres de sopa de limão espremido

1 colher de sopa de molho de alho

Pimenta do reino e sal a gosto

Modo de fazer:

Misturar tudo. E provar! Você pode gostar dele com mais gosto de limão, ou de alho, por exemplo, então, faça a dosagem como preferir!

Entradas Mais Antigas Anteriores